25.7.14

My World / Capítulo 04

Não há ventos favoráveis para aqueles que não sabem onde querem chegar.
No capítulo anterior...
- Oi princesa -disse Justin já sem camisa e tirando as calças- 
- Coloque já essas calças - disse encarando-o
- Não, eu sempre durmo assim e não vai ser agora que não vou. -disse se deitando
- Garoto insuportável - resmunguei -
Me deitei ao lado de Justin me encolhendo completamente, até desmaiar de sono.
 . . .                                          
                                                          [....]

                                                     "No dia seguinte"

No dia seguinte acordei sentindo dores na cabeça, olhei para o lado mas Justin não estava, provavelmente foi para a escola, é claro! -pensei comigo- apenas gostaria muito de saber o porque do motivo disso tudo, eu já não estava mais aguentando ficar se perguntado tanto, sem menos receber respostas concretas, eu apenas sentia uma grande dor de cabeça, que já não estava mais suportando. Deitei novamente para ver se a dor passava, mas novamente cai no sono (...) Depois de algumas horas dormindo, levantei ouvindo alguns barulhos de carros, e em seguida Justin entrando no quarto e jogando a sua mochila na poltrona de coro.

-Oi princesa -disse sorrindo-
-Não enche -disse colocando uma das mãos na testa
-riu- dormiu bem? -perguntou se sentando
-Não muito, a minha cabeça está explodindo de dor- disse com as mãos no rosto
-Hm' e você acha mesmo que eu vou cair nessa? -disse se levantando
-Idiota, estou falando sério! -disse novamente se deitando-
-Tudo bem, deixe-me ver- -Justin foi até a beirada da cama e colocou uma de suas mãos em minha testa, logo depois em minha bochecha e em meu pescoço.
-Meu Deus, você tá queimando em febre! Vou chamar um médico. -disse com á expressão seria-

Justin ficou alguns minutos no celular, provavelmente chamando o tal médico que iria me examinar, eu estava soando, me sentindo tonta, não estava entendendo o que estaria acontecendo comigo. 

-Eu posso tomar um banho? -perguntei fraca
-Claro, vou pegar alguma bermuda e camiseta que já não me sirva e já lhe trago. -disse saindo do quarto.

Me levantei, dando uma pequena cambaleada para trás, como se estivesse bêbada. Mas ainda assim continuei, fui até o banheiro, tirei á camiseta grande e macia que estava em meu corpo em seguida pendurando-a. E logo a minha visão se apagou (...)

Há minha visão estava embaçada, apenas sábia que eu estava na cama, com roupas intimas, mas com uma toalha me cobrindo.  

-(SeuNome) você está bem? Diga algo por favor -insistiu-.
-Sim, Justin eu estou bem só um pouco tonta mais creio que vai passar logo.- disse fraca concluindo que era Justin
-Assim espero -respondeu em segundos
-O que, que aconteceu? -perguntei sem intender
-Não sei, eu fui pegar as roupas e quando voltei não te vi aqui então entrei no banheiro e você estava lá, desmaiada no chão, apenas de roupas intimas -sorriu de canto- então te enrolei na toalha e te carreguei até a cama. Você realmente está mal né! -disse preocupado
-Obrigada. -agradeci envergonhada-
-Por nada. E o médico está a caminho, em alguns minutos é provável que ele chegue -sorriu-
-Não, eu já estou me sentindo melhor, relaxa só foi um mal estar.-disse negando o atendimento do médico
-Não Lolla eu insisto, você está mal e ele já está á caminho -disse aumentando o tom de voz
-Tudo bem, mas e o Natan aonde ele está? -perguntei ao ver que Justin me chamaras de "Lolla", Natan que tinha essa mania de "Lolla pra cá, Lolla pra lá", sempre que eu lhe perguntava da onde que ele havia tirado esse "Lolla" ele dizia que havia pego do meu pai -pensei dando um leve sorrindo-
-O que foi? -sorriu- Está lá fora, ele achou melhor não vir!
-Nada, apenas pensei alto! Mas ao menos ele tem vergonha na cara, e você, também acha que só porque estou assim pensa que eu não estou te odiando né? Você parece ser um cara tão legal Justin, apenas me responda, porque fez isso?
-Você não se lembra mesmo né? Só de pensar que .. -A porta se abre- Olá Dr.Jaay, quanto tempo! -disse Justin indo em direção ao coroa de cabelos grisalhos que entrastes no quarto -
-Olá rapaz como vai? como vai os seus pais? realmente, quanto tempo! -disse apertando a mão de Justin-
-Vou bem, estão todos bem -riu- pois é! -Dei uma breve tosse para que se lembrassem da minha existência naquele amplo & belo quarto-
-Oh good', desculpe senhorita então é você que está doente? -perguntou sorrindo-
-Acho que sou á única que está de cama aqui né? Então sim! -pergunta idiota -pensei- -disse dando um leve sorriso irônico-  (....)

O tal Dr. Jaay havia me examinado, ele me diagnosticou dizendo que eu estava com uma pequena pressão baixa, o que me faria ficar o dia de cama. Não me surpreendi, pois eu não poderia sair desse lugar, ficaria o resto dos meus dias trancada naquele quarto, mas até quando? -perguntei-me mentalmente-.

-Vou lhe trazer algo pra comer, ok?
-Ok, meu Deus á minha mãe! -lembrei da sua chegada de Londres-
-O que tem, á sua mãe? -perguntou sem intender-
-Ela chegou ontem anoite de Londres, eu deixei de lhe fazer uma "surpresa" para vir ajudar o babaca do Natan -disse indignada-
-Tudo bem (SeuNome) ontem eu fui sim, até á sua casa e falei com o seu pai eles sabem que você está comigo!
-O que? Mas o meu pai nem mesmo te conhece!
-você que se engana- sussurrou-
- O que disse? -perguntei sem entender-
-Nada pensei alto, eu disse que nós eramos amigos e que os meus pais haviam lhe convidado para passar algumas noites conosco, o que realmente é mentira, mas enfim .. Você vai ficar alguns dias comigo -disse dando uma breve piscada-

 Justin havia saído do quarto, como disse, iria pegar algo para mim se alimentar pois ainda estava se sentindo fraca, assim aproveitei a sua saída e coloquei as roupas que ele havia pego. Eu queria saber que horas eram, como estaria o tempo, naquele lugar não tinha nenhum tipo de buraco, brechas, nada, eu realmente estava isolada mais pensei que provavelmente estaria uma tarde limpa, com o céu sem nuvens, um ótimo dia para sair e assistir um ótimo filme com os amigos, o que seria impossível.
Até que Justin entra no quarto com uma bandeja linda, contendo um prato maravilhoso de espaguete, dois copos de refrigerante e algumas frutas e em sua outra mão um balde grande de pipoca.

-Cheguei- disse sorrindo e dando um leve chute na porta, para que ela se fechasse-
-Não me diga, foi rápido heim -disse irônica-
-Você e suas ironias né, engraçadinha! -revirou os olhos-
-sorri- Óh céus que prato lindo, foi você quem fez? -perguntei admirando o lindo prato de espaguete-
-Claro, quem mas faria uma obra-prima como essa? -disse se gabando-
-Hm' -revirei os olhos sorrindo- Realmente está maravilhoso, mas não se ache -disse depois de mastigar-
-riu- obrigada!

Justin se levantou e ligou á televisão grande que se localizava no centro do quarto, confesso que eu não havia reparado naquela televisão -pensei- Justin, colocou um filme chamado "Os mercenários", ele havia dito que era de ação, mas como não sou muito chegada em filmes não me importei. Depois de colocar o filme, Justin apagou á luz e se deitou ao meu lado com o seu balde de pipoca.


Oi Jujubinhas perfects, desculpem mesmo a demora ultimamente eu ando 
TOTALMENTE compromissada mas nada de deixa-los, enfim espero que vocês tenham gostado! 
COMENTEM, COMENTEM, assim eu me inspiro em seus 
comentários tanto como elogios, ou críticas! 
Quer que te avise quando postarmos o próximo capítulo? 
basta deixar o user do seu twitter nos comentários abaixo. 
                                                           Beijooooooos bý; #Liisa
                                                   
                                                      #COMENTÁRIOSRESPONDIDOS

4.2.14

My World / Capítulo 03


    "A infelicidade tem isto de bom: faz-nos conhecer os verdadeiros amigos."
                                    No capítulo anterior...

-Alô -atendi um telefonema repentino-
-Lola, preciso de você aqui, por favor me ajude- disse uma voz fraca e sofrida
-Natan, é você?-
-Sim Lola, me ajude por favor-
-Natan aonde você ta? Por favor, me responda- disse desesperada
-Estou em um galpão, perto do colégio. Por favor não fale pra ninguém- disse em um tom de choro e o telefonema caiu 
. . .
[....]
-Pode guardar tudo pra mim? - perguntei para a caixa 
-Não Srta. não podemos. -respondeu a mesma digitando em seu notebook 
-Por favor, eu pre-preciso -gajei com o efeito do nervosismo- fazer um negocio agora! -exclamei- 
-Moça não insista, não podemos guardar as suas compras . 
-Que porra, o que gusta guardar a droga dessas compras por alguns minutos, ou horas? -disse descontrolada-
-Saia daqui agora garota, ou vai ser preciso chamar os seguranças?-
-Tudo bem, só estou perdendo o meu tempo nessa droga mercado - disse se retirando- 

Sai do mercado, indo em direção ao meu carro. Sai cantando pneu em alta velocidade, não estava pensando em mais nada naquele momento, dane-se muta, dane-se tudo. Com quem devo me importar realmente nesse momento  é com o Natan. Fui direto ao galpão perto do colégio como Natan me informou, não me lembrarás completamente aonde era então fui rodeando aquele lugar (...) Até que encontrei. Desci do carro, olhei para os lados na tentativa de achar alguém, mas nada, percebi que eu era a única ali naquela rua deserta. Fiquei imaginando, como seria isso anoite . Adentrei o galpão que era completamente sem iluminação, o que realmente iluminava aquele lugar era uma brecha do portão que estava meio quebrado e o sol invadia aquele minusculo buraco.  Mas não ajudava, quando se tratava de enxergar algum, peguei o meu celular e coloquei no modo lanterna.  Subi uma escada de metal que havia naquele lugar sinistro, logo em cima havia um corredor amplo com várias portas. Confesso que estava tremula, nervosa com o que poderia estar acontecendo . Parei de costas para a escada, olhando aquelas portas. Estava pensando como foi que tudo pode ter acontecido em apenas um dia ? Será que foram aqueles garotos que armaram tudo? Será que eles, querem me atingir através do Natan? Por que eles riam e Natan dizia que não? Mentalmente eu me questionava, tentando encaixar cada suspeita em seu lugar. Fui em direção a umas das portas e abri a mesma lentamente tentando não fazer barulho mas foi uma tentativa sem sucesso, a porta fazia um barulho irritante que acabarás com qualquer ouvido . 

-Natan? - Disse olhando cada canto de um quarto velho, que havia por traz daquela porta com a ajuda da lanterna de meu celular. Não vi Natan ali, então decidi ir até a outra porta. -Natan? Aonde você ta? - Disse abrindo a segunda porta, que novamente era um quarto sujo e não tão agradável. Sem sucessos de encontra-lo fui para a seguinte porta e assim foi a minha procura por Natan. No final me restou a última porta por ondes me restará acha-lo . Abri a porta lentamente e novamente havia mais um quarto ali, da mesma forma que os outros, estava um lixo por completo, mas algo me chamou atenção naquele ninho de rato, havia um tipo de porta em baixo de uma mobília velha. Empurrei a mobília empoeirada, fazendo-a sair de cima da suspeita porta que certo daria acesso a algum porão. Levantei aquela pequena porta quadrada para cima, fazendo-a encostar na parede. Desci a curta escada, ali já era um lugar mais claro diferente da iluminação lá de cima. Eu fui andando, sem saber por onde iria e o que iria encontrar durante a minha caminhada. (...) Mas, finalmente eu o encontrei . 

Natan? O chamei na esperança de ter uma resposta, mas não, Natan continuou imóvel no chão - Corri desesperada até  ele,  estava com a cabeça sangrando. Coloquei os meus dedos em seu pescoço para ver sua pulsação e Natan estava respirando. Mas ainda assim não estava aliviada com a quantidade de sangue que saia de sua cabeça -Natan, por favor fale comigo. -Insisti colocando sua cabeça em cima de minhas pernas . 

- Ora, Ora, Ora - Me virei rapidamente me deparando com ele .. 
- Justin? -disse surpresa- 
- Sim! surpresa porque? -disse me encarando
- O que faz, aqui? 
- Riu- Como você é inocente né?
- An? não estou intendendo! O que você faz aqui? Quem fez isso com o Natan?
- Riu sarcasticamente- Natan é nosso comparsa, sabia que Natan é um ótimo ator dramático? 
- Não acredito em você, Natan nunca seria capaz de fazer isso comigo, Natan é meu melhor amigo -disse tentando prender as lagrimas que insistiam em sair- 
- Tudo bem acredite se quiser! (SeuNome), (SeuNome) não existem "melhores amigos" como você diz, ninguém é amigo de ninguém em exceto Deus, mais isso não vem ao caso. Se Natan realmente fosse seu amigo, ele não mentiria pra você! Natan sempre esteve com agente. Há é também faz parte do nosso esquema, foi preciso dar uma coronhada nele, daqui apouco ele esta de volta! -disse rindo -
- Cala a boca seu maldito, EU NÃO ACREDITO EM VOCÊ ! -disse entre lagrimas
- Sem agressividade pequena venha comigo -disse me levantando
- Aonde você vai me levar? -disse assustada
- Pro meu quarto!
- Não, o que você quer de mim? Me deixa em paz! 
- Quero você!- afirmou

 Justin me levou para um quarto grande e luxuoso, totalmente diferente dos últimos quartos que eu havia visto nesse lugar.  

Senta ai -disse me jogando em sua cama- Tenho uma surpresa pra você -riu
- O que você vai fazer?  
- Você vai ter a noite mais especial da sua vida -disse saindo do quarto

Me encolhi em cima daquela cama, com a cabeça apoiada em meus joelhos. Eu não sabia o que iria acontecer, o que passa pela cabeça de Justin? Nunca pensei que ele fosse assim . Sim eu o tratei um tanto mal, mas creio que isso não tem nada haver, com o que ta acontecendo.  -pensei comigo- Até que vi a porta se abrir .

- Não chore Lola! É assim que te chamam, né? -disse Justin fechando a porta
- Por que está fazendo isso? -disse indo até ele
- Ora, resolveu me encarar? -disse olhando em meus olhos
- Nunca pensei que você fosse assim!
- Assim, como? Uma pessoa justa?
- Uma pessoa Justa, justa porque? O que você ta fazendo de justo nessa porra? -disse aumentando a voz
- Riu- Adoro te vem assim, brava ao mesmo tempo com medo  -disse chegando perto de mim, pegando em meus cabelos-
- Não toca em mim! -disse se afastando
- Tudo bem -se afastou- Já tá escurecendo, então vou em minha casa.
- Como assim escurecendo? Você não vai me deixar voltar pra casa?
- Riu - Não, você vai ficar aqui. Bem quietinha, me esperando -sorriu-
- E os meus pais? Eles vão ficar preocupados! -exclamei
- Foda-se a preocupação dos seus pais, depois eu me resolvo com eles!
- Você não vai fazer nada com eles seu desgraçado -disse dando tapas em seu peitoral-
- Hey, hey -me segurou- Se você continuar se comportando dessa forma eu vou ser obrigado a ir até a sua casa -sussurrou em meu ouvido- Ryan vai ficar aqui com você!

Justin havia saído  do quarto, ouvi barulhos de chave . Então conclui que ele estava me trancando (...)
Sentei na cama de frente para a porta e observei a mesma se abrir novamente. Vi um garoto entrar, devia ser o tal Ryan que Justin disse que ficaria comigo. Ele me observava, com aquele olhos verdes e seduzentes. 

- Uau, a famosa Lola! -disse se sentando em uma das poltronas que haviam no espaçoso quarto- Não vai falar nada? -Continuei muda- Ok, gosto de garotas assim! Difíceis e mal humoradas -riu- 

Ryan começou a batucar nos braços da poltrona, creio que ele pensava que estava arrasando mais aquele som estava uma merda -ri mentalmente. Eu não sabia como estava o tempo lá fora e nem que horas eram, apenas sabia que estava tarde como Justin revelou, aqui não tinha janela alguma, ou se quer horas. Eu estava completamente sem rumo, Justin havia pego o meu celular, me deixando sem comunicação alguma.

- Você tem horas? -perguntei a Ryan, interrompendo-o no batuque 
- São 23:50 PM -disse olhando em seu relógio -Posso saber porque?
- Por nada!  

Ryan já havia saindo do quarto, me deixando apenas uma camiseta do Justin para que eu dormisse, já era quase 00:00 AM e Justin não chegava, eu precisa saber se ele foi em minha casa, mas o sono não ajudava eu já estava ficando sonolenta, o sono fazia com que eu fechasse os meus olhos mas eu insistia em mantê-los abertos. Era uma guerra sem fim, mas no final ele que ganhou a batalha (...) Senti alguém se deitar ao meu lado, e assim me levei, sentando assustada para ver quem era . 

- Oi princesa -disse Justin já sem camisa e tirando as calças- 
- Coloque já essas calças - disse encarando-o
- Não, eu sempre durmo assim e não vai ser agora que não vou. -disse se deitando
- Garoto insuportável - resmunguei -

Me deitei ao lado de Justin me encolhendo completamente, até desmaiar de sono.

                                                         "No dia seguinte"
. . . 
Oi Jujubas, confesso que não gostei muito desse capítulo mas sem
 desculpas estou um tanto sem criatividade quando se trata de "Suspense" . 
Mas espero vocês leitoras que amo tenham gostado (: 
Sigam-me @jerrydisponivel .
                                                     Um beijos nas bundas <33 Bý; Liisa'                                                            Acompanhem o IB da Biiah ' = Keep Out